Sindojus ingressa com Pedido de Reconsideração em favor de exonerados

O Sindicato dos Oficiais de Justiça do Estado de Alagoas – SINDOJUS/AL, ingressou com um Pedido de Reconsideração ao presidente do Tribunal de Justiça, em relação a decisão publicada segunda-feira, 21/1, onde 28 servidores, dentre eles, quatro Oficiais de Justiça, foram exonerados do Poder Judiciário.

A decisão foi recebida com surpresa pela diretoria do Sindojus, que através do seu presidente, Cícero Filho, imediatamente, manteve contato com a presidência e dirigiu-se até o TJ para discutir o assunto com o presidente da Corte, desembargador Tutmés Airan.

Durante a reunião, o presidente do Sindojus, que esteve acompanhado do presidente da Asserjus, Robert Manso, e de uma comissão de servidores exonerados, dentre eles, os Oficiais de Justiça, Cícero Mariano e Manoel Felipe Malheiros Cabral, relatou para o desembargador presidente, toda situação que envolve o caso, apresentando, inclusive, medidas jurídicas adotadas anteriormente pelo Sindojus.

Ainda na reunião, após ouvir os argumentos apresentados por Cícero Filho, Tutmés Airan, demonstrou-se extremamente sensível ao caso, declarando que não tem a menor intenção de prejudicar qualquer servidor, haja vista, seu histórico de vida.

Diante do ocorrido, o Sindojus ingressou na data de hoje, 23/1, com um Pedido de Reconsideração da decisão, como também, que sejam adotadas as medidas cabíveis para declaração de estabilidade dos servidores atingidos pela decisão. A medida deverá ser aplicada não só para os Oficiais de Justiça, mas todos os servidores que se encontrem em igual situação.

“Acreditamos na sensibilidade e senso de justiça do desembargador Tutmés. Não foi ele o responsável pelo processo. O que vem acontecendo ao longo dos anos com esses servidores é algo desumano, uma grande injustiça. Demais Poderes e órgãos reconheceram a estabilidade de servidores nessas mesmas condições. O próprio Tribunal de Justiça já o fez em relação a alguns servidores. É uma questão de isonomia. Existe todo um respaldo jurídico para isso. Temos muita confiança que, com o desembargador Tutmés, essa lamentável situação será resolvida de uma vez por todas”, destacou Cícero Filho.